segunda-feira, 15 de abril de 2013

“estou treinando ser gentil ao invés de ter razão”


Achei a frase do título em um livro que não é um grande livro. É só um livro. Uma história massa, que não é uma grande história. Dessas que viram filmes, ganham oscars, mas são esquecidas no ano seguinte. Dessas que te divertem e te emocionam, mas por um breve momento. Enfim... um livro bobinho. Já a frase, nem tanto... Digamos que eu tenho me deixado influenciar por ela.

É mais fácil treinar ser gentil ao invés de ter razão, do que amar ao próximo como a mim mesma. Talvez por isso caiba bem como uma filosofia de vida, porque não é tão utópica... Além disso, treinar não quer dizer conseguir sempre, me dá direito a uma margem de erro... Quando não consigo ser gentil, me frustro apenas por aquele momento, e não por todo o pacote do dia.

O que me chama a atenção nessa situação toda, é que não adianta fugir de livros de autoajuda. Quando você está buscando uma rotina diária e um modo de vida que faça sentido, qualquer coisa pode virar uma técnica pra você, se você for uma pessoa compulsiva como eu. Além disso, fico imaginando, quantas coisas a gente não perde por menosprezar pessoas, livros e situações. Talvez tudo tenha alguma dose de encantamento, mesmo que pequena. Talvez tudo deva receber uma chance...  

8 comentários:

  1. Mas quantas chances seriam?...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não faz pergunta difícil, Laila!!!
      Mas acho que não muitas! Nós duas já sabemos que quem pede chances demais, normalmente oferece de menos

      Excluir
  2. É, isso tem lá seu fundo de verdade. Gostei!!

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Chicuta!!! Sei que vc se esforçou pra comentar, rs.
      Eu procurei mas não achei onde muda essa parada de letras de verificação!
      Bom ter sua presença por aqui! =)

      Excluir
  4. Pra tudo tem um momento, uma oportunidade. Com muitas pessoas, é conveniente soltar um falso "é, poisé, né" e mudar de assunto. Mas sob um determinado tópico, você pode até aprender algo com essa mesma pessoa. Eu acredito que todo mundo tem algo a oferecer, até Felicianos da vida.
    Essa coisa de amar o próximo é muito utópica e, francamente, coisa de gente carente. Amo poucas pessoas, mas tento respeitar o máximo que puder.

    ResponderExcluir
  5. Eu estou aprendendo a não ter razão, ouvir a razão alheia, levá-la para casa, pensar, pensar, e ver se dá pra tirar algo dali.

    Lógico, desde o tempo dos sofistas as opiniões opostas desde que fundamentadas podem ser considerar duas verdades, e nesse sentido há discussões sonolentas sem fim. Nem toda discussão vale a pena.

    Não é fácil abrir mão de um ponto de vista, e acho muito difícil porque algumas pessoas consideram a exposição de uma opinião adversa e fundamentada algo tão ofensivo, mas as pessoas são assim....

    Aí é melhor aprender a adotar o "aham" mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, eu tava pensando mais em situações do dia a dia.
      Acho mais difícil ser gentil nas pequenas coisas, como no tränsito qdo te fecham ou te xingam, e cia.
      Mas vou ampliar a aplicação!

      Excluir