segunda-feira, 28 de junho de 2010

Antropologia Olímpica e Síndromes Masculinas

(Da série Lana e Video Game também é cultura!)

Três semanas atrás eu estava jogando God Of War III . Na verdade, mais vendo os nossos dois pequenos do que jogando. Mitologia é legal para fins de estudos políticos e antropológicos. O jogo também me pareceu merecer uma atenção especial.

Kratos é "o cara".
No mundo real, os homenzinhos vibram com o Kratos porque ele é fortão, ignorante, mata todo mundo, exceto umas mulherzinhas com quem ele interage de forma concupisciosa ao longo do jogo. Homem típico detected.

Eu não gosto do Kratos, gosto do sangue e da mitologia envolvida, que foi distorcida para encaixa-lo, mas não tão distorcida quanto no filme Fúria de Titãs (aliás, onde foram parar os titãs no filme?!).

Analisemos as características masculinas de Kratos: o cara se faz de furiosamente magoado pela morte da família, mas sai por aí pegando todas as bonitinhas que cruzam seu caminho. Além do mais, toda a história se desenvolve porque Kratos, assim como todos os homens, sofre de surdês seletiva: ele não consegue ouvir o que as mulheres lhe falam, a não ser, é claro, que o assunto seja sexo.

A surdês seletiva se manifesta principalmente quando vozes femininas dizem a um homem "não faça isso", e se agrava ainda mais se essa voz feminina houver sido precedida por uma voz masculina dizendo "faça isso". A Nike, fabricante de artigos esportivos, captou bem a idéia. A propósito, Nike ou Nice era o nome da deusa grega da vitória.

Ares, o deus da guerra, havia mandado que Kratos - seu campeão - queimasse uma vila de adoradores de Atena (que por acaso era sua irmã). Lá foi Kratos e seu exército de trolls espartanos. O Oráculo da vila (uma mulher) lhe diz que ele não deveria profanar o templo de Atena, e que se o fizesse iria se arrepender amargamente. Após ignorar um bom conselho, ele entra no templo e mata todo mundo, e entre suas vítimas estavam sua esposa e sua filha.

Nesse momento ele demonstra sofrer de outra síndrome masculina típica: a consciência seletiva.
Como todo homem, Kratos não admite sua própria culpa e responsabilidade. Logo, sua família não morreu por suas próprias mãos porque ele sofre de surdês seletiva, mas sim porque Ares lhe arquitetou uma armadilha.

Muitas coisas acontecem por culpa de Kratos, mas ele sempre acha que a culpa é de outrem. Ele cultiva muitas inimizades e acaba por destruir o Monte Olimpo para depois se suicidar.
Kratos a parte, o jogo mostra vários deuses gregos interessantes.

Outro homenzinho típico: Zeus.
Ele poderia ter sido o primeiro na história a dizer "faça o que eu digo, não faça o que eu faço". Ele pode acorrentar Prometeu e colocá-lo num tormento eterno sendo devorado por um pássaro, assim como pode aprisionar os Titãs, colocar Atlas para segurar o mundo, matar seus próprios filhos ou suas amantes, mas ele pode fazer esse tipo de atrocidade. Visando preservar sua prerrogativa, ele decide colocar Kratos em sua vasta lista de desafetos.

Joguinhos a parte, sempre achei mitologia grega uma coisa deveras interessante. As características dos Titãs, Olímpicos e criaturas míticas adjacentes são muito semelhantes às humanas.

Cronos, pai de Zeus, devorava seus filhos ao nascer, porque um Oráculo lhe disse que um filho lhe destronaria. Parece Fidel Castro mandando Che para a morte, temeroso de seu futuro político.
Traído por sua esposa Reia, que lhe esconde Zeus, Cronos acaba derrotado em uma grande batalha, e tem seu ventre rasgado para que os rebentos engolidos sejam libertos e se tornem os deuses olímpicos.

Gaia, mãe de Cronos se alia a Reia, esconde Zeus, se responsabiliza por sua criação, e apóia sua empreitada para derrubar Cronos, porque o netinho é o orgulho da vovó.

Atena transforma Medusa numa górgona que mata todos os homens que contempla. Como se isso já não fosse vingança suficiente, posteriormente envia Perseu para arrancar a cabeça de Medusa, e orgulhosamente coloca essa cabeça em seu escudo, talvez para sempre lembrar-se que sua algoz (cuja beleza invejava) está bem mortinha.

Hera, irmã e esposa de Zeus(!), conspira o tempo todo para matá-lo, malcomunando com tantos quantos consegue aliciar para sua causa. Muitos sucumbem a seus argumentos, por pensar que podem, com a queda do Zeus, governar o Olimpo. Eu entendo Hera e seus motivos: sendo casada com o mais safado de todos os deuses, seus chifres eram maiores que os de todos os centauros e minotauros da mitologia somados, mas ninguém fala de seus chifres.


Alguém aí achava que briga de família era exclusividade da própria casa?

9 comentários:

  1. Tá.. homens são todos iguais, incluindo deuses e semi-deuses.

    E mulheres são todas trouxas... inclusive deusas...

    aiai... a mitologia serve pra algo mais além de me desanimar?

    ResponderExcluir
  2. desisto de comentar esse post...
    se eu comento, aparecem 3, se eu apago 1 somem todos....

    ResponderExcluir
  3. Ai se vê que a coisa não é de hoje. hahahaha mas discordo que homens sejam todos "iguais", no máximo semelhantes. :P Bom texto, gostei de ler. Acompanhando o Blog.

    http://marcostrauss.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oiii flor, tudo bem?
    Vim visitar seu cantinho e adorei =D
    gostaria que me visitasse tbm, se gostar me siga? ficarei super feliz com isso!!!
    ps:estou te seguindo.

    www.jackysimionato.blogspot.com

    beejo beejo":"

    ResponderExcluir
  5. Uau, usastes mitologia pra acabar com o sexo masculino, mas a graça daqui é essa né ? mas enfim

    uau! Putz! Boa analogia do jogo viu!

    a tempos esperava ler algo não antropologico sobre este jogo, que eu gosto como qualquer outro homem.... (né?)

    ResponderExcluir
  6. Eu me nego a crer que todos os homens sejam iguais, sabe? Tenho plena certeza de que alguns disfarçam melhor do que outros...rs

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  7. Eu não posso falar muito dos homens, adoro-os em sua essência... acho que às vezes sou é implicante com as mulheres...

    Pra não fugir do assunto: tens algum livro acessível sobre mitologia grega pra me indicar? Um amigo me pediu, mas não tenho intimidade com esse setor. rsrs

    Beeeeeeeeijo, Ana!

    ResponderExcluir
  8. Alline,

    eu sugiro "Prometeu Acorrentado" de Ésquilo e "O Livro de Ouro da Mitologia", de Thomas Bulfinch.

    ResponderExcluir
  9. O Livro de Ouro da Mitologia realmente é muito
    dá pra dar uma geral em todos os mitos, gregos, nórdicos e de outras origens

    ademais, post muito bom =)

    ResponderExcluir